27 de jan de 2006

Converso com qualquer um...

... desde que seja com ISAAC.
É isso que Israel está dizendo ao mundo. A eleição palestina, que transcorreu de forma tranqüila, elegeu representante do grupo político Hamas. Israel diz que o Hamas é de estrema direita. E daí, Sharon também era. Como não quer diálogo, inventa desculpas. Sabendo que pode contar com seus porta-vozes da mídia mundial, tão logo saiu o resultado convocou os Sirotskys da vida para desencadear uma campanha para legitimar a intransigência de Israel. A ZERO HORA estampou em manchete uma assertiva do naipe de seus boçais: VITÓRIA DE EXTREMISTAS EM ELEIÇÃO PALESTINA PREOCUPA O MUNDO. O mundo? Que mundo? Só pode ser o mundo dos legitimadores do genocídio israelense. Se o Hamas fosse impedimento, porque Israel não aceitou a paz de ARAFAT?
A manchete não é só um diagnóstico incoste do maniqueísmo dos editores, mas também uma cuspara na cara de nossa inteligência.
Até porque as primeiras informações do dia ontem, 25/01/06, diziam que Israel desencadeara uma batalha diplomática mundial para deslegitimar o representante palestino. Aí vem a RBS, como sempre do lado de Israel, por razões óbvias, dizendo que "eu" estou preocupado com a vitória do Hamas. A manipulação é grosseira, pois é feita por mentecaptos: Cada palestino que morre, é terrorista; cada isaelense que morre, é vítima do terror. Que o diga Nahoum Sirotsky, da sucursal da RBS em Jerusalém, direto de Jerusalém. O sobrenome não importa, pois o que importa é o sangue que os une.
Quem ainda acredita nisso. Só retardados.