27 de jan de 2006

Saiu na Argentina


"Como Botnia y Ence, las empresas que construyen las plantas en la margen del río Uruguay, la brasileña Aracruz terminó bajo la lupa de los ambientalistas. En su caso, por devastar el bosque tropical. Las denuncias llegaron a Suecia. Específicamente a la familia real, accionista de la compañía cuestionada. Salpicada por las noticias, la corona mandó hacer una investigación para intentar salvar la situación. Pero el informe resultó implacable. Ayer, los príncipes Victoria, Carlos Felipe y Magdalena se desprendieron de sus acciones en la polémica firma."
O papel da ARACRUZ preocupa inclusive seus acionistas, a família real sueca, mas a imprensa tupiniquim não gasta uma linha com o assunto.
Só não é uma inversão de papéis porque a imprensa não mais informa, negocia. Notícia é produto que atende quem vende, não quem consome. Quantas resmas a imprensa brasileira ganha da ARACRUZ para ficar de bico da pena calado?



Monica Wendt disse...
Gilmar.
A indignação quanto à suposta salvação da metade sul, abate todos que trabalham com meio ambiente, por trás de toda a conversa fiada de planejamento ambiental, sistemas de gestão, está uma indústria extremamente poluidora, já banida dos países do hemisfério norte (menos China). Uruguai e Argentina manifestaram-se contra uma empresa de celulose que iria ser construída na divisa dos países, perto de Zarate(?)..isso ano passado. Agora nosso Botox-Rigoto nos traz esta, 3 empresas...todas juntas reunidas..Numa região com vocação para uva, ovelhas..Acabará o PAMPA Gaucho...

Segunda-feira, Janeiro 30, 2006