13 de jul de 2009

Zé Agá & Yeda

Zé Agá de mal com os fatos

A máquina de moer adversários acionada pelo Piratini, leia-se, ouça-se, veja-se RBS, falhou ao juntar ticos e tecos. Em ato falho revelador, o braço impresso do Grupo RBS, polinizado pela abelhinha Rosane de Oliveira, saiu do Caso Lair, Caso Isso e Caso Aquilo, e enredou com a "Reação no Piratini". E, arrepiada, manchetou: "Governo vê Tarso por trás".
A matéria recebeu o título que o Piratini determinou, na Zé Agá apenas copiaram e colaram. E o gancho foi ainda mais sintomático. Num ato falho clamoroso, entregou de bandeja o baby japonês: "estratégia de disseminar ataques". Na mesma altura da página 6, mas do outro lado da foto da ex-governadora há mais tempo em exercício, a confissão do Secretário Marco Alba: "Quem tem a consciência tranquila, sempre se sente confortável". Ué, pensei, disseminar ataques não casa bem com consciência tranquila... Não é que conseguem tomar de assalto até a semântica!?
Lá no alto da página 6 está o nome a Editora Executiva do Ctrl + C e Ctrl + V da Zé Agá. Rosane de Oliveira, a abelhinha que poliniza os frutos da ex-colega pelas página de Zé Agá, realça o conteúdo da estratégia e também já sente Tarso por trás. Tenta executar um simulacro da filosofia ricuperiana: mostrar o que é bom e esconder o que é ruim.
O que a "colonista" não consegue ver, qualquer morador de rua que usa Zé Agá como papel higiênico vê: por acaso as denúncias que Zé Agá publicou foram vazadas por Tarso? Lair Ferst agora se chama Tarso? Adão Paiani seria outro dublê de Tarso? As gravações do Cesar Busatto feitas pelo vice Paulo Feijó foram vazadas por Tarso?
Quem forneceu à Zé Agá (06/07/2009) a sinopse do programa de governo concebido pelo novo jeito de governar, intitulada "Delação Premiada", que poderá render ao escritor Lair Ferst um Prêmio Nobel? Teria sido Tarso Genro? Para narrar a promiscuidade no atual governo do Estado Lair teria de escrever um Decamerão... por semana, tamanha é a entrada e saída de personagem rocambolescos. Ou já esqueceram Antônio Britto saindo de fininho pelos fundos do Palácio quando da criação do Gabinete de Transação, digo, Transição?!
A burrice só não é maior por falta de espaço! Embora talvez seja um pouco menor da burrice dos eleitores dessa gentalha. Como alguém ainda ousa defendê-los? Só com muita cara de pau e alguns caraminguá$!!
Os ex-profe$$ores Éfe Agá e Yeda talvez pudessem ensinar português ao Lula, mas este lhes poderia ensinar ética. Por exemplo, Lula poderia ensinar como ser um estadista respeitável sem precisar tirar o sapatos para entrar nos EUA.
Se Lula é o cara, FHC é a bunda de onde saiu Yeda...

Um comentário:

Dialógico disse...

FHC é a bunda de onde saiu Yeda...

Genial, genial!!! :-)

Claudia.