1 de fev de 2005

Fora Fórum

"Caminante no hay camino; el camino se hace al andar"(António Machado, o poeta espanhol).
Se um "outro mundo era possível", o Forum Social Mundial neste início de 2005 mostrou que já foi absorvido pelo establishment, nos mesmos moldes que o governo federal petista. Contrariando a frase cunhada pelo poeta espanhol, a esquerda festiva acomodou-se à "utopia do possível", máxima perpetrada por Tarso Genro, e, ao invés de fazer o caminho, trilha aquele batido pela terceira via. Nada mais igual à FHC do Lula no poder. Então, se um outro mundo é possível, Lula, que havia declarado que o FSM não passada de uma feira ideológica, sequer deveria ter sido recebido festivamente.
No contrapé das propostas do Fórum, que quer a taxação das transações financeira globais, Lula liberou a agiotagem nacional, isentando a Bolsa de Valores, de modo que o CityBank é todo eleogios ao cristão novo do noeliberalismo.
Um governo que cria, nos primeiros meses de governo, 2700 cargos em comissão e não consegue criar o mesmo número com o programa "primeiro emprego", ou não sabe o que está fazendo, ou, o que é pior, sabe...
As bandeiras do Fórum envolvem alimento saudável. Não foi no governo do pesticida Lula que os transgênicos foram liberados!? Quer mais, nunca a Amazônia foi tão devastada!
A democratização dos meios de comunicação, por ser uma utopia, também foi arrancada da agenda petista. Em 2 anos de governo Lula foram fechadas mais rádios comunitárias do que durante os 8 anos de FHC.
O Fórum passou a ser analisado pelos resultados econômicos que traz para Porto Alegre (movimentou 60 milhões de dólares (60 x 2,73 = R$163,80 milhões). A defesa do Fórum com tais argumentos, tanto pelo Prefeito Fogaça como pela candidata petista derrotada, Maria do Rosário, mostra que, primeiro, não há diferença entre petistas e fogacistas, segundo, que, em ambos, o econômico domina o social. Se é para isso, by by Fórum.
A RBS, sempre avessa aos movimentos sociais, dobrou-se ao Fórum. Transformou-o em Woodstok. Na ótica da mídia, o Forum virou pop, um Planeta Atlântida sem mauricinhos.

Nenhum comentário: