21 de mai de 2005

Uma economia da corrupção

O PT não inventou a corrupção. Nem Palocci é seu ideólogo. O que assusta no "new PT" é esta aparente felicidade de tresloucado quando ela emerge. Os governos brasileiros, cada vez que surge uma denúnica de corrupção com risco de punir os culpas, vem a público alertar para os riscos. Os militares sequer deixaram que fossem divulgados. Os civis, se locupletaram. FHC vendeu as empresas públicas e ofereceu dinheiro também público para os que não tinham recursos para comprá-las. Alguns bem abaixo do preço, como reza a cartilha dos que foram "além dos limites de suas responsabilidades".
Toda vez que no Governo do Professor Cardoso aparecia uma denúncia de corrupção, havia um esforço concentrado para abafar. Até a reeleição foi comprada, com prova e tudo o mais, e nem por isso deu alguma alguma. O único a pagar alguma coisa nos oito anos de tucanagem foi o Lalau. E os que "concertaram" com Lalau?
Agora vem o Palocci dizer que uma eventual CPI para apurar aquela desfaçatez com que se expressam os detentores de cargos públicos nos Correios pode prejudicar a economia (Manchete da Folha de São Paulo, 21/05/05: Palocci teme que CPI contamine economia). O que esses imbecis estão pensando?! Então a propalada busca da estabilidade econômica cai por terra se fatos como esse forem apurados? A conclusão que se chega é que a estabilidade econômica no Brasil está assentada na impunidade. Liberada a corrupção, não haverá percalços na economia.
Por uma questão de justiça, o PT deveria baixar uma MP institucionalizando a corrupção ou então propor uma emenda constitucional para garantir a igualdade de direitos...
MORAL: Economia dá corrupção!

Nenhum comentário: