1 de fev de 2006

Um galo sem passarinha


Segundo o Aurélio:
[De pássara, fem. de pássaro, + -inha.]
S. f.
1. O baço de qualquer animal.
2. Gír. As partes pudendas da mulher.
3. Bras. N.E. Nervura mediana da enxada.
u Bater a passarinha a. Bras. Pop.
1. Ter desejo ou palpite de alguma coisa. [A loc. é m. us. em frases negativas.

O ex-governador Olívio Dutra deu entrevista a seu maior algoz, a ZERO HORA. Logo o veículo que tanto causa embrulho no estômago e que deu tantos pontapés no basso do Bigode. Fazer o quê, a RBS é dona do Rio Grande; elege quem ela quer. Até o Lula, para querer parecer alguém, tinha um espaço na ZERO HORA, embora saibamos que o esnobe Presidente não sabe acolherar duas palavras encima de uma resma.
Mas Olívio é diferente. Tão diferente que dificilment fará o que Tarso fez: encontrar com Sirotsky na casa deste durante última campanha para o Governo do RS. Queria negociar nos bastidores, como faz todo político tradicional. Aliás, com fez para desbancar Olívio do páreo das prévias petistas. Aquela pesquisa fajuta do instituo SENSUS, do amigo Hélgio Trindade, foi moldada para colocar Tarso como sendo o único candidato em condições de vencer Antônio Britto.
O veículo responsável pela perseguição implacável, marcou na paleta do Olívio uma forte rejeição, segundo "pesquisas" patrocinadas pela RBS. Olívio diz que isto não lhe bate a passarinha.
Ganhar do Rigotto até que não é difícil, haja vista a incapacidade para o trabalho que vem demonstrado o governador botox.
O difícil será levar Lula na garupa.