7 de jul de 2004

Des Crédito



Lula, profeta do passado, consciente que os servidores públicos estão com os salários defasados, havia mandado contraírem empréstimos junto aos bancos oficiais, para serem consignados em folha de pagamento. A proposta ganhou capa da Zero Hora, em abril passado. Como se quem contraísse dívidas não precisasse pagar, dando a impressão que empréstimo substitui renda. Aí vem o STJ e decide que o desconto em folha salarial de empréstimo bancário é abusivo, pois atende interesse de natureza distinta. Entende aquela corte que o servidor tem poder de cancelar o desconto em folha.
No mês seguinte, maio de 2004, seguindo a mesma trilha, na mesma linguagem mercantilista, veio com aquela história de "shopping de oportunidades" comerciais com a China.
Agora, julho, quando a campanha está nas ruas, lá vem Lula de novo, dizendo que o "sistema financeiro pratica juros escorchantes". Quer boicote aos cartões de crédito. Bingo. Se fosse assim tão fácil, Lula determinaria juros zero nos bancos oficiais, afinal Banco do Brasil e Caixa continuam sendo federais.
O "cheque azul" da Caixa e o "cheque ouro" do Banco do Brasil continuam cobrando "juros escorchantes". E mesmo os empréstimos consignados em folha, que baixaram para 1,8%, continuam altos, se considerarmos a inflação.

Nenhum comentário: