28 de jul de 2004

Mordaça Petista

O título é uma empulhação, pois a mordaça não atende apenas aos interesses dos governistas de plantão. Atende aos anteriores e aos próximos. Acima de tudo, atende aos corruptos de sempre, de Maluf a Waldomiro Diniz. O título é uma empulhação, já que não atende somente aos interesses petistas, mas é em homenagem à empulhação petista.
A mordaça, filha direta e direta da ditadura, ganhou fôlego no governo FHC mas vai ser parida, mesmo que a fórceps, na democracia petista. Tudo porque os grampos telefônicos mostram a democracia dos plantonistas governamentais no uso do erário. Não querem só impedir, também querem punir com prisão. Quatro anos para quem divulgar grampo telefônico. Tudo bem se desse quatro anos para quem conduzisse cachorro em carro oficial...
Vejam que incongruência. Lula leva a cadelinha Michelle passear de carro oficial e não acontece nada. José Dirceu convive e alça a negociador do governo no congresso com ninguém menos que Waldomiro Diniz. E não o indicou por ouvir falar, eram amigos, teúdos e manteúdos. E como Dirceu e Lula podem dizer o que não pode ser divulgado se mesmo em quinze anos não conseguem distinguir amigo de larápio?
O governo se preocupa com a gravação e a divulgação de falcatruas mas não se preocupa com as falcatruas. É o típico interessado no acessório que esquece o principal. Quer prova? Veja-se o caso do Presidente do Banco Central, Henrique Meirelles: Banqueiro em Boston, gastou 887 mil reais para conseguir 187 mil votos. Deu domicílio eleitoral em Goiás, mas, para fins de imposto de renda, continuou em Boston. É ou não um governo de Boston!
Bons tempos os dos romanos, pois até a mulher de César não bastava ser honesta, também tinha de parecer que era. Hoje não, ser ou não ser não é mais questão. A questão é esconder ou não esconder. O resto é conversa mole de deslumbrado de plantão.


Nenhum comentário: