28 de ago de 2004

Mussolini começou assim

Com ele, foi tudo também muito rápido. Em 1910, era líder operário, secretário do Partido Socialista Italiano no interior, em Forli, e fundou o jornal "La Lotta di Classe" (A Luta de Classe). Em 1911, assumiu a direção do "Ávanti!", órgão oficial do partido.
Em 1915, expulso do PSI, fundou o jornal "Il Popolo d'Italia" (O Povo da Itália) e organizou os "Fasci d`Azione Rivoluzionaria" (Grupos de Ação Revolucionária) e, em 1919, criou os "Fasci di Combatimento" (Grupos de Combate) e as "Squadre d'Azione" (Milícias de Ação).
Em 1920, passou a ser financiado pelos banqueiros e grandes empresários, assustados com a dissidência comunista dentro do Partido Socialista, que levou à criação do Partido Comunista Italiano.
Em 1921, chegou com seu partido ao Parlamento: 37 deputados entre 500. Não era muito, mas lá fora já eram milhões. E abriu o jogo:
"Não seremos um grupo parlamentar, mas um pelotão de ação e de execução. Declaro logo que o meu será um discurso de direita, um discurso reacionário, porque sou antiparlamentar e antidemocrático".
No dia 28 de outubro de 1922, Mussolini marcha sobre Roma e o rei Vittorio Emmanuele o chama para formar o governo. E só sai em 43, morto.
PT e o fascismo
Há um livro histórico, que contou tudo : "Marcia su Roma" (Marcha sobre Roma), de um grande homem, Emilio Lussu, que chegou ao Parlamento em 21, quando Mussolini também chegou, combateu-o de peito aberto, pegou anos de cadeia, fugiu, lutou contra o fascismo, voltou em 45 como ministro de Gasperi, várias vezes senador, e que morreu em 75 em Roma.
A escalada de Mussolini no governo é muito parecida com a de tantos outros: formou o primeiro governo com liberais e democratas-cristãos e o Congresso logo lhe deu plenos poderes e legalizou e oficializou as "Squadre d'Azione", com o nome de "Milizia Volontaria pela la Securezza Nazionale" (Milícia Voluntária para a Segurança Nacional).
E foi pouco a pouco instaurando a ditadura fascista: "Os códigos judiciários são revistos (olha aí o Nelson Jobim!), a polícia tem plenos poderes (olha aí a mordaça do Ministério Público e sua proibição de investigar!), as corporações profissionais, diretamente controladas pelo governo, substituem os sindicatos (olha aí o Conselho Federal de Jornalismo!) e os candidatos a postos passam a ser indicados pelo partido (olha aí o Genoino e o Delubio nomeando seus exércitos de "aspones"!).
A receita do PT não é stalinista, maoísta, trotskista. É fascista.
O "IGP-VI"
A Justiça (cada dia mais injusta) oficializou de vez: há duas inflações no País, a do governo e dos bancos e grandes empresas, e a da população. Para o povo, o INPC. Para o governo e os poderosos, o IGP-DI.
De 1994 para cá, a inflação medida pelo IPCA, que serve de base para o governo pagar suas dívidas e atualizar salários e aposentadorias, foi de 165%. Mas a inflação medida pelo IGP-DI, pelo qual são aumentadas contas do governo, planos de saúde e todas as tarifas dos serviços públicos que Fernando Henrique entregou aos grupos internacionais, foi de 715%.
Façam o cálculo, mês a mês, e verão o assassinato coletivo que isso representa. Nos tribunais de Brasília, o IGP-DI é chamado de "IGP-VI" em homenagem a Edson Vidigal, o deputado de Sarney que virou juiz, preside o STJ (Superior Tribunal de Justiça) e é o excitado advogado do "IGP-VI".
Blindados
Depois que inventou blindar o Meirelles do Banco Central com o título fraudulento de ministro, para impedir que o Ministério Público e algum juiz o obrigasse a prestar contas das maracutais externas e internas com os doleiros piratas de seus R$ 100 milhões, Lula não teve mais sossego.
Agora, Delubio Soares, o decúbito dorsal do PT, e o novo amigo de infância de Lula, Ricardo Teixeira, da CBF, também querem. Os romanos sabiam das coisas: "Asinus asinum fricat" (um asno coça o outro).
Cinema negro
Continua rendendo o escândalo racista no festival de cinema de Gramado. O presidente do júri, Rubens Ewald Filho, disse ao "Jornal do Brasil" que o diretor, atores e atrizes do filme "Filhas do vento" só receberam os prêmios (Kikitos) porque são negros:
"Ou alguém acha que foi à toa que demos prêmios para seis atores negros, em um estado como o Rio Grande do Sul, que sempre foi acusado de desprestigiar o negro? Eles agradecem a todos e não se lembram de nós".
É a cota para negros em prêmios. Diretor e atores ficaram justamente indignados. Mas são também culpados. Não podiam aceitar como presidente do júri um americanóide alienóide e debilóide. Esse Ewald, que pensa que nasceu em Nova York só porque tem um "W" no nome, todo ano é tradutor, no SBT, da cerimônia de entrega do Oscar. Em vez de traduzir, como manda sua função, ele diz todos os nomes em inglês. Por exemplo:
Em vez de "Titanic", como é no Brasil, ele diz "Taitânic". Ridículo.
Ombudsman
Em Santiago, no Chile, Lula foi com o presidente Lagos visitar uma obra social no bairro João Goulart. Logo o "Jornal nacional", da TV Globo, inventou que a homenagem ao ex-presidente brasileiro era "porque ele viveu lá como exilado político". Jango nunca se exilou no Chile. sebastiaonery@ig.com.br Sebastião Nery - Tribuna da Imprensa, 27/08/2004

Nenhum comentário: