22 de nov de 2004

Furtado

Nada como a morte para revelar o mundo dos vivos. Foi-se Brizola, e lá foram os urubus pousar de papagaios, como se absorvessem parte de seu prestígio pela simples presença. Morreu Celso Furtado, e lá aparece o PT desbotado, querendo furtar a cena. Marta Suplicy quer transformá-lo em viaduto... Como no samba do Nelson Cavaquinho, o PT deveria ter feito enquanto vivo, não depois que se transformou em saudade. Se quiser fazer por mim, que faça agora!
O homem sobrevive nas idéias, querer preservar o nome sem abraçar elas, é furto.
Com o PT no governo, Celso foi Furtado!

Nenhum comentário: