11 de out de 2004

Vale a pena ver de novo

Alguns filmes deixam cenas que se perpetuam na mente. São como flash intermitentes. Girassóis da Rússia, Salvatore Giuliano de Francesco Rossi são dois filmes que freqüentam minha memória. Agora um outro fantasma tem me acompanhado. Trata-se de um filme de Elia Kazan, recentemente falecido: Terra de um sonho distante. Enquanto à vida política se esvai pelo esgoto da mercancia, nada melhor que viajar pela memória. Alimentar o espírito ou desviar o foco é a dica da sobrevivência. Esperança há, o difícil é se livrar dos fantasmas.

Nenhum comentário: